Fábio Dias
29/03/2018
Garça Região 

Câmara realiza Sessão Solene em homenagem às mulheres

Num evento em que se homenageia mulheres que foram destaque durante o ano na cidade, não se poderia esperar menos que: casa cheia, emoção, beleza, sinceridade, exemplos de vida, cumplicidade, força, superação. Tudo junto e misturado, numa vivência tipicamente feminina.
Anúncio

Num evento em que se homenageia mulheres que foram destaque durante o ano na cidade, não se poderia esperar menos que: casa cheia, emoção, beleza, sinceridade, exemplos de vida, cumplicidade, força, superação. Tudo junto e misturado, numa vivência tipicamente feminina.

Na última terça-feira, 27 a Câmara de Vereadores em Garça realizou Sessão Solene para a entrega do “Prêmio Mulher Destaque”. Familiares e amigos lotaram a plenária da Casa de Leis e durante o transcorrer da sessão ficou claro o porquê que cada uma das 13 mulheres homenageadas foram merecedoras do prêmio.

Também no público e na composição da Mesa, mulheres que mereciam a premiação, e que foram lembradas em muitos dos discursos da noite.

A vereadora Patrícia Morato Marangão, autora do Decreto Legislativo que conferiu a premiação foi a oradora oficial da noite e lembrou da luta por melhores salários, redução da jornada de trabalho e o direito à licença maternidade que provocaram a morte de 129 operárias têxteis americanas em oito de março de 1857.

Patrícia falou sobre o Dia Internacional das Mulheres e da eterna primeira dama – Lyria Joly Kemp Marcondes de Moura, cuja premiação foi entregue à netas Larissa, Maria Júlia e Kamile uma vez que dona Lyria faleceu no último dia 24 de março. Julinho Filho juntamente com o filho Thiago também marcaram presença e se emocionaram com a homenagem.

“Dona Lyria sempre será a primeira dama, ela teve a sua marca e é conhecida como Mãe dos Pobres”, falou Patrícia pedindo desculpas à Primeira Dama Cláudia Furlaneto Santos.

Ao usar a palavra a primeira dama que representou o prefeito João Carlos dos Santos, falou em esperança, em amor, em luz.

“Que este prêmio traga mais luz para suas vidas”, disse ela às homenageadas e as netas de Dona Lyria.

A presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB de Garça, Maria Cláudia Mendonça, disse que não é fácil superar as dificuldades.

“Hoje o dia é de homenagem às mulheres que se destacaram. Deixo minha mensagem e gratidão por tudo que essas mulheres fizeram e fazem pelo desenvolvimento da cidade e região. Quero dizer que a mulher foi feita da costela de Adão, do meio do corpo. Isso significa que não somos inferiores, ou superiores, mas temos que caminhar juntos”, discursou ela, lembrando a problemática vivida pelas mulheres no que diz respeito a violência e discriminação. Ela também falou em saudades de Lyria Marcondes e Mari Nakata, advogada falecida recentemente e irmã de uma das homenageadas.

Para o delegado Gustavo Danilo Pozzer, titular da Delegacia de Polícia de Garça, a mulher não está conquistando seu espaço, ela está ocupando um lugar que lhe pertence.

“É o lugar de vocês e eu fico muito feliz e honrado em ver quatro policiais civis femininas sendo homenageadas. Por toda a história, por tudo que a Polícia fez, hoje você ter quatro representantes nesse evento é muito importante. Fico contente pela homenagem. O progresso veio, mas rogo a Deus que venha mais rápido para que mulheres tomem o lugar que é delas. Mais uma vez digo que não é uma conquista. Vocês só estão ocupando o lugar que é de vocês”, disse ele.

Reginaldo Parente, que presidiu a mesa, desejou vida longa às mulheres no protagonismo de transformar a cidade.




“Só os ignorantes não reconhecem o valor da mulher na sociedade”

 

O vereador Antônio Franco dos Santos Bacana, que indicou dona Lyria para a homenagem, falou sobre o exemplo que ela foi. Segundo ela, a cada dela era o gabinete da primeira dama.

“Ela sempre conviveu com pessoas mais humildes. Não tem como falar de dona Lyria sem falar do seu Júlio. Só os ignorantes não reconhecem a presença da mulher na sociedade”, frisou ele.

Emocionada a neta Larissa ocupou a tribuna e, com voz embargada, agradeceu a homenagem em nome de toda a família.

A vereadora Deyse Serapião trouxe para todos a história de Maria Izabel Mendes Faria que no alto de seus 93 anos emocionou os presentes. Todos, após tomarem conhecimento de seus feitos, a aplaudiram em pé.

Sem deixar de agradecer a mãe Neuza Serapião, que se fez presente no evento, a vereadora lembrou uma premissa de São Francisco de Assis ao contar a história de sua homenageada.

“Ela sempre fez e faz a diferença. Quando eu fui falar sobre a homenagem ela resistiu porque disse que não era merecedora. Na sua humildade ela não queria porque não se julgava merecedora. Lembro aqui São Francisco de Assis que disse “Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível”. Obrigada dona Maria Izabel por me deixar fazer parte de sua vida”, finalizou ela.

Para Sueli Nakata, ficaram as palavras de consideração, respeito e admiração proferidas por Fábio Polisinani que a indicou ao prêmio. Ao ocupar a tribuna, mas que agradecer, ela lembrou a irmã Mari Nakata e sua defesa em favor da mulher.

Janete Conessa falou em amizade e competência ao trazer a história de Ana Maria Prande Pereira.

“São 13 representando as mulheres de Garça. Tive o privilégio de escolher uma amiga de longa data, colega de profissão que fez diferença na minha vida. Ana Maria me ajudou e hoje tenho a oportunidade de agradecer publicamente. Na escola João Crisóstomo conheci uma mulher de fibra, digna, forte, profissional que tratava as crianças como pedras preciosas”, falou a vereadora.   

Ao agradecer a homenagem Ana Prande retribuiu o carinho recebido.

“Janete você faz parte do livro de outro da minha história”, finalizou Ana Prande, depois de dizer que Janete Conessa superou, positivamente, todas as suas expectativas. Janete, disse ela, a superou.

Aiche Melissa Barbosa Dahrouge foi a escolhida do vereador José Luiz Marques que salientou em tribuna o trabalho realizado principalmente frente à Casa de Apoio em Jaú.

“Doutora Cristina (se referindo a Tereza Cristina Albieri Baraldi que estava no plenário e também foi mencionada por Gustavo Danilo Pozzer) fico lisonjeada em tê-la aqui. Deixo também os agradecimentos à primeira dama. Quero desejar a todos muita luta sempre. Deyse você homenageou uma senhora muito importante para o município e me fez ficar com lágrimas nos olhos”, disse Aiche Melissa ao usar a tribuna.

Veio do vereador Marcão do Basquete a homenagem à senhora Ivone Martino Bomfim , citada por ele como uma figura que aprendeu a adorar pela sua aura de carinho, leveza, bondade, ensinamentos. Uma mulher que de acordo com o vereador está sempre disposta a estender a mão. Uma mulher que transmite paz interior.

Marcão salientou que não traria textos prontos e falaria o que lhe vinha ao coração e assim contou a história de vida de Ivone Martino Bonfim. Ela, ao retribuir um abraço, disse ao vereador que o amava e que estava feliz com a homenagem.




Mulheres da Polícia Civil garcense foram homenageadas

 

Da Polícia Civil para as cadeiras na Casa de Leis. Cinco mulheres receberam as homenagens. Mulheres eu segundo a vereadora Patrícia vem fazendo a diferença na vida das pessoas, cujas histórias de vida são permeadas por problemas. Pessoas vítimas de violência doméstica.

“Doutor Gustavo muito nos honra homenagear as mulheres da Polícia Civil. Foi através da Polícia Civil que conheci meu marido e a Elaine (uma das homenageadas) foi uma das responsáveis. Mulheres que tem a sensibilidade de lidar com outras mulheres vítimas de violência doméstica. Lidar com crianças que são vítimas de maus tratos. Até então, há 10 anos, essas mulheres nunca foram homenageadas e que estão sempre prontas para atender. Mulheres que hoje estão nos representando num local majoritariamente masculino e que nunca perdem a sensibilidade e a graça feminina, inerente a mulher”, falou a vereadora comentando que a presença feminina na Polícia foi registrada a primeira vez em 1955.

Para a delegada Darlene Rocha Costa, sua homenageada, a vereadora desejou longa permanência em Garça. Patrícia lembrou a influência que o pai, também delegado e presente no evento, José Carlos Costa, teve na vida da “doutora Darlene”.

À mesa ela se dirigiu ao delegado Gustavo Danilo Pozzer e ao Delegado Seccional de Polícia de Marília, Wilson Carlos Frazão, ao falar sobre sua homenageada.

“Esse prêmio significa que estamos no caminho certo”, falou a delegada comentado um pouco sobre o projeto CapeVido - Centro de Apoio para Envolvidos em Violência Doméstica – recém lançado e sendo mais uma “arma” contra a violência doméstica da qual muitas mulheres são vítimas.

Patrícia entregou o prêmio para Darlene Rocha Costa, Elaine de Oliveira Cândido (indicada pelo vereador Paulo André Faneco), Cláudia Antônio de Paula Fernandes – Claudinha - (indicada por Pedro Santos) e Maria Aparecida Pereira (indicada por Wagner Luiz Ferreira). As quatro, juntamente com Sueli Nakata, formaram o time da Polícia Civil que, merecidamente, foi homenageado com o Prêmio Mulher Destaque 2018. Os vereadores Paulo André Faneco, Pedro Santos e Wagner Ferreira não puderam comparecer ao evento por compromissos previamente assumidos.

Gisleine Aparecida Santini Barreto ou simplesmente Gi Barreto foi somente emoção. Indicada pelo vereador Rafael Frabetti, ela não conteve as lágrimas ao ouvir do outro, um pouco dela mesma.

Para definir a homenageada Rafael Frabetti trouxe para os presentes o conceito da palavra resiliência.

“Será que alguém tem dúvidas que esse conceito descreve a minha homenageada? Ela não perde o sorriso, apesar dos problemas. Temos mania de enxergar a história dos outros como bonita e não olhamos a nossa. Faça uma reflexão e olhe sua história”, falou Frabetti para Gi Barreto.

O vereador Rodrigo Gutierrez homenageou Edna Maria Zanarde Barbosa, que ofereceu o prêmio para a mãe, a sogra, as 129 operárias mortas. Edna falou um pouco de sua história e traduziu sua caminhada como o poder da palavra. Uma palavra, segundo ela, ouvida aos seis anos, dizendo que seria professora. Uma menina da roça, cuja trajetória comprovou ou certificou a palavra ouvida.

Antes de se dirigir a sua homenageada o vereador Reginaldo Parente falou com Maria Izabel.

“Dona Izabel se hoje estou aqui devo isso a senhora que há cerca de 48 anos me orientou a ler, pegou em minhas mãos para escrever”, disse ele que há havia sido reconhecido por ela.

Voltando-se à Eliana Boaretto, o vereador falou sobre sua dedicação ao próximo, ao resgate de vidas, resgate de pessoas que estão “no lamaçal do vício”.

“Isso me fez te homenagear. O Poder público é incapaz de fazer frente às demandas causadas pelas drogas e a sociedade precisa se unir para combater esses agentes nocivos”, frisou ele lembrando o trabalho realizado por Eliana no Sanatório André Luiz.

A homenageada agradeceu a lembrança.

Em seus pronunciamentos, as homenageadas, agradeceram aos parlamentares pelo reconhecimento e destacaram a importância do fortalecimento das ações em prol daqueles que precisam de mais espaço e respeito da sociedade.

Foto: Facebook

 


Comentários

Nota Importante: O Portal Garça Online abre espaço para comentários em suas matérias, mas estes comentários são de inteira responsabilidade de quem os emite, e não expressam sob nenhuma circunstância a posição/opinião oficial do Portal ou qualquer de seus responsáveis em relação aos respectivos temas abordados.