Lucas Dias
22/02/2019
Garça 

Pedro Santos aborda a política municipal e fala sobre as próximas eleições

Com metade do mandato, os focos já começam a se voltam para as eleições que acontecem no ano que vem.

Anúncio


Com metade do mandato, os focos já começam a se voltam para as eleições que acontecem no ano que vem. O vereador Pedro Santos (PSD) falou sobre a política municipal, os projetos que estão em andamento e que, certamente vão definir novas estratégias para as próximas eleições. Entre os pontos o edil cita a diminuição no número de vereadores de 13 para 9, em Garça, e a alteração na Lei Eleitoral.

“Provavelmente iremos conseguir aprovar o projeto de redução de cadeiras para vereadores para o próximo mandato, passando de 13 para 9 cadeiras. Essa medida, junto com a economia, trará grandes mudanças na realidade para Garça, também teremos as alterações na lei eleitoral, que proibi a coligação de partidos”, falou ele.

Segundo o vereador, os fatos influenciam na realidade garcense visto que, a matemática (literalmente) ditará regras para os novos candidatos, permitindo, ou não, que assumam uma vaga no Legislativo garcense.

“Será proibida a coligação de partidos. Antes um ou mais partidos se coligavam para alcançar o coeficiente eleitoral. Garça tem mais ou menos 25 mil votos válidos, dividido por 9 cadeiras. Antes uma coligação de partido tinha que conseguir 2.777 votos para conseguir uma cadeira, aí vem outra discussão, pois as vezes um candidato pode ser a mais votado e conseguir 1.000 votos, porém sua coligação não alcança os 2.777 votos e esse candidato não será eleito”, falou Pedro Santos.

Com a mudança proibindo coligações (partidos terão que ser lançados sozinhos), Pedro explicou que os partidos poderão lançar 18 candidatos, sendo que esses 18 terão que ter a média de 154 votos para conseguir uma cadeira.

É, segundo ele, um número alto de votos, difícil de alcançar, e, por isso, a tendência é diminuir a quantidade de partidos nas eleições e também de candidatos.

“Candidatos fortes tenderão a sair no mesmo partido para alcançar o coeficiente.

Para as pessoas que gostariam de ser candidatos ou a vereador ou a prefeito, o importante é não perder o prazo de filiação que deve acontecer 1 ano antes das eleições, caso contrário não poderá participar, ou seja dentro de 8 meses as pessoas já devem se filiar, o que já começará formar os grupos e alianças que irão disputar as eleições 2020 em Garça”, falou ele convidando todos a participar da política municipal, sendo atuante.

“Garça precisa de pessoas, pessoas boas, Garça precisa de você”, falou ele em texto publicado em rede social.

Algumas pessoas chegaram a se manifestar em rede social, sobre o posicionamento do vereador. Hoje quem dissesse que para a questão da economia, um ponto importante seria a diminuição do salário dos vereadores.

Pedro lembrou que fez um projeto com tal objetivo, mas o mesmo foi reprovado.

“Se diminuir o número de vereadores, diminui a representação. O que é melhor: diminuir a representação ou aumentar a economia na Câmara?”, questionou Letterio Santoro.

“Professor pensei nessa situação também de perder a representatividade, porém um ponto que que me fez concordar com a redução, é que muitos vereadores se elegem representando certa parcela da comunidade, algum grupo ou classe, porém assim que se iniciam os trabalhos legislativos, mudam de posição ou de atitude. Sendo assim a representatividade daquelas pessoas que votaram é perdida mesmo mantendo a cadeira na Casa”, colocou o vereador Pedro Santos.


Comentários

Nota Importante: O Portal Garça Online abre espaço para comentários em suas matérias, mas estes comentários são de inteira responsabilidade de quem os emite, e não expressam sob nenhuma circunstância a posição/opinião oficial do Portal ou qualquer de seus responsáveis em relação aos respectivos temas abordados.